Lado B Olímpico

Ele é forte, vivo e empoderado.

Equipe HuffPost Brasil
Jul 28, 2016

O outro lado do evento esportivo mais badalado do planeta acontece nos morros do Rio de Janeiro. Crianças e adolescentes das comunidades sonham com um lugar ao sol. Na outra ponta, a chegada dos Jogos Olímpicos retira 90 mil pessoas de suas casas.

O especial "Lado B Olímpico" traz à superfície um país que muita gente insiste em não ver.

'É tirar o fuzil e botar um quimono'

Como a Escola de Lutas de José Aldo faz o Complexo da Maré florescer

'É tirar o fuzil e botar um quimono'
A Escola de Lutas José Aldo foi criada para atender 200 jovens, mas a cota já está ultrapassada há tempos. Com pouco mais de um ano de projeto, já são 534 inscritos, dos 6 aos 22 anos, com aulas nos mais variados horários. São meninos e meninas que deixam de lado o cotidiano duro do Complexo da Maré por instantes para evoluírem no judô, jiu-jítsu, boxe e luta olímpica.

A NBA subiu o morro

Projeto ensina basquete a meninas e meninos da Rocinha

A NBA subiu o morro
O jr. nba treina os professores, cede uniformes e equipamentos a 100 alunos, de 10 a 17 anos. O programa espera atingir mais de 6,5 milhões de crianças em 32 países. Menina ou menino, o espaço é igual para todos.

Vila Autódromo: Medalha de ouro em resistência

Vila Autódromo: Medalha de ouro em resistência
Quando a Praia de Copacabana explodiu de alegria com o anúncio da Olimpíada no Rio de Janeiro, em 2009, ninguém poderia imaginar que lá em Jacarepaguá, na zona oeste da cidade, já haviam brasileiros se preparando para disputar os jogos. Eles não são craques no futebol, tampouco atletas de elite. Mas se tornaram imbatíveis em lutar pelo lugar em que vivem.